Notícias : Notícias

Notícias

Apresenta matérias de interesses da sociedade brasileira no seu todo, com obrigação de ser apartidária, isenta e profissional nas causas da sua competência.

Promotor que pediu laqueadura de mulheres pobres leva 15 dias de suspensão

Por Clara Assunção, na Rede Brasil Atual.

São Paulo – Janaína Aparecida Quirino entrou na sala de cirurgia em fevereiro de 2018 para dar luz a uma criança. Saiu de lá estéril, e com a filha sendo encaminhada para adoção.  Um ano antes, Tatiane Monique Dias deu entrada no hospital para realizar o parto do segundo filho. Dois dias depois, a jovem considerada “incapaz” pela Justiça por ter “retardo mental moderado”, foi submetida à laqueadura

#MoroMente: “ele sabe que o que foi publicado é verdadeiro e é cínico negar isso”, diz Afrânio Silva Jardim

Veja mais um vídeo da campanha #MoroMente, realizada pela ABJD e apoiada pelo Coletivo por um Ministério Público Transformador. Desta vez, o integrante do Transforma MP e da ABJD, professor de Direito da UERJ, Afrânio Silva Jardim, afirma que #MoroMente quando diz que não tem condições de reconhecer as mensagens publicadas por vários veículos de imprensa. “Moro sabe que tudo que foi publicado é verdadeiro e é cínico negar isso”, assevera Afrânio.

Juristas fazem ato para denunciar conduta de Sergio Moro na Lava Jato

A ABJD realiza na próxima segunda-feira, 19/8, um ato público para denunciar a conduta criminosa do atual ministro da Justiça, Sergio Moro, que segue extrapolando limites éticos e do cargo que ocupa, sem sofrer uma investigação séria e rigorosa. O ato tem o apoio do Transforma MP, que será representado pelo promotor de Justiça Gustavo Roberto Costa, do MPSP.

#MoroMente: “Juiz NÃO investiga”, diz juíza Simone Nacif

Em audiência no Senado no dia 19 de junho, o ministro Sergio Moro disse que o juiz é responsável tanto pela fase de investigação, quanto pela fase do processo. A juíza da Vara Criminal de Nova Friburgo/RJ, integrante da AJD e da ABJD, Simone Nacif, diz que #MoroMente já que no processo brasileiro a função de julgar é separada da função de acusar. “E não podem se confundir, sob pena de violação de todos os princípios de um processo democrático”.