Você não precisa ler isto!

Mas, caso insista, espero até o final convencer você da perda deste tempo

Por Élder Ximenes, na Carta Capital.

Provavelmente está olhando para uma tela de celular. Ou seja, usando um aparato meio mágico: mistura de areia (vidro) e dinossauros podres (plástico foi petróleo) – que nos transporta ao além-mundo. Antes, estranharam; agora, entranhou-se. Da concreção ao etéreo quase sem querer. Entre um e outro, nem sentimos como ele nos observa tanto mais: nos escuta, mede, registra, mapeia e classifica. Não digo espiona, pois nós o autorizamos cada vez que marcamos o quadradinho ao final dos contratos de serviço. Leu algum antes de instalar? Pois é: aos poucos, foi-se a alma nas entrelinhas vendida (o sangue da assinatura era coisa de alemão preto-e-branco). Um aleph de Borges em cada mão. Um espelho made in China que acariciamos até cada qual virar Alice. Fiquemos nisto, portanto: você, para ler, aceitou ser lido.

Não trago novidade. Não posso absolutamente desejar ser novo. Conformado em escrever reciclagens – apenas aponto ao desavisado leitor (que tudo sabe), como agorinha tudo já-já se repete: furacão mata pobres; pílula seca barriga; massacre na escola; bomba na igreja; morreu de mimimi; bala perdida acha favelado; desempregocrisereforma e o governo fala besteira… Ô saco! Quase dá vontade de desligar e fazer outra coisa…. quase!

O aperreio, a náusea da imagem, aquela criança-bicho agarrada no fundo do meu olho e o textão da cobrança… mas isto passa logo. Passa o dedo que passa e solta a roda e vem! O que nos salva do tédio e nos prega na tela é este milagre; hóstia pós-moderna por segundo; o soma eletrônico – o MEME SAGRADO. Louvados sejam seus pixels! Bem-vinda a vida virtual que nos prolonga e a paz que nos aluga.

Dia desses, um meme insolente, desses filosóficos, perguntava: o que você faria se não pudesse mais ser um militante virtual? Isto é: já pensaram se o Mark acordasse de ressaca e puxasse a tomada? Como você ocuparia as horas, nos desvãos desta vida besta – o que escaparia? Não daria para tretar nem stalkear – muito menos dar aquela lacrada na cara. Nada das curtidas que nos masturbam o espírito – feito a fumaça dos altares agradavam aos deuses. Ai, deserto do real! Você talvez se fechasse dentro de uma pílula azul ou duma casca de noz para não perder este universo. Ao contrário, fosse louco, valente ou distraído, poderia largar de si e virar outro!

Mas nem é preciso tanta viagem. Dá para experimentar por aqui mesmo, só de sarro! Tá tudo na mão; olha só como sabemos de tudo nesta tela-brasilis:

Versão Alfa: ministro é despreparado ignorante (meme funk);
Versão Beta: não pode xingamento machista.
Versão Beta closed: popularidade despenca (meme da arminha);
Versão Beta open: pesquisa mostra jovens com saudade da ditadura que não viram.
Versão RC: a Constituição não deixa executar sentença antes do final (meme da dancinha);
Versão Gold: militares avisam que não pode soltar o único preso que interessa.

É ou não é repetido? Brinca de googlar que verá como tem sido sempre assim, marcadinho, com timming perfeito para afastar o povo das ruas e praças:

Lula ministro? Vaza gravação ilegal. Greve geral crescendo? Nova sentença. Mulheres virando a eleição? Fake news das vagabundas (e facada). Milícias no poder (ou cadê Queiroz)? Lama na tela até esquecerem. Povo apoiava o governo derrubado em 64? Nazismo de esquerda. Você queria se aposentar? Vamos invadir a Venezuela. A Presidência usa robôs de likes, falsos perfis e fábricas de fake news igual à campanha? O mundo periga virar comunista

Entre um e outro, meme na veia que é melhor.

E olhe só quanta coisa você viu e quanta gente avisou. “Até muito mais difíceis que eu pra você. Que eu, que dois, que dez, que dez milhões – todos iguais”:

A guerra das palavras (Trump e Bolsonaro): https://medium.com/@renatagames/trump-transformou-palavras-em-armas-e-ele-est%C3%A1-ganhando-a-guerra-lingu%C3%ADstica-87536743f4c4?fbclid=IwAR3xYTpeAga9nmQQb22Czjuak4YxKgGRXGRthpWzYwvQp2ZZB3xgdlW3KBA

Carnaval, mulher e resistência: http://www.transformamp.com/mulheres-carnaval-e-resistenci/

O impulso da virada: https://www.youtube.com/watch?v=sMsQGd41JP4

Pacote anticrime (para quem): http://www.transformamp.com/projeto-anticrime-e-suas-inconstitucionalidades-capitulo-1-o-devido-processo-legal/

Terrorismo de estado é coisa nossa: http://www.transformamp.com/terrorismo-de-estado-e-privacao-da-liberdade-a-guerra-do-estado-brasileiro-contra-seu-proprio-povo/

A morte é burra: http://www.transformamp.com/abaixo-a-inteligencia-viva-a-morte/

Se é pra mentir: https://medium.com/@ewandrostennzowski/bolsonaro-e-schopenhauer-776f442c5d10

Quer mais um site bacana para distrair? Olha este contador de tempo (qualquer um serve): https://www.calendario-365.com.br/calcular/periodo-entre-duas-datas.html . O que interessa é que, se a gente sabe a razão, não precisa esperar acontecer nem a festa, nem o luto, nem a luta. Experimenta só:

Contando de hoje para trás, faz exatamente:

40.218 dias (26-2-1909) da Passeata das Mulheres Trabalhadoras pela Igualdade de Direitos e 39.461 dias (25-3-1911) do Incêndio que matou 125 operárias em greve – Nova York

37.286 dias (08-3-1917) da Marcha das Mulheres Contra a Fome e a Guerra – Moscou e, por isto mesmo, 1 mês do Dia Internacional da Mulheres deste ano

2.113 dias (25-6-2013) que o povo nas ruas derrotou a PEC 37.

390 dias (14-3-2018) da Morte de Marielle Franco, sem que haja mandantes identificados

366 dias (07-4-2018) da prisão de Luís Inácio Lula da Silva

Fácil. Na ponta dos dedos: Informação + Data + Fato. Agora, a motivação para juntar tudo e agir além dos memes – isto só quem pode trazer é você!

Já sentiu que o seu tempo está passando, não é? O celular só parece desligado em cima da mesa, mas é uma janela para o abismo, olhando de volta. Chamando… Pois atende. Vá! Mas experimente ouvir um pouco além e responder diferente, antes de saltar. Lembre de que a mesma mão que tecla também abraça, defende, agita pedras e constrói um mundo. É caminhando pela rua que aprendemos a voar… juntos.

Imagine a selfie!

Élder Ximenes Filho é Mestre em Direito Constitucional / UNIFOR, Promotor de Justiça no Ceará, Membro do Coletivo por Um Ministério Público Transformador – Transforma MP.

Deixe uma resposta